Sugestão de Programas

PROGRAMA PARA O
DIA DO PRESBITERIANISMO NACIONAL


Igreja Presbiteriana do BrasilO trabalho missionário presbiteriano no Brasil começou em 1859. Foi iniciado por Ashbel Green Simonton, um jovem de 26 anos, diplomado pelo Princeton College (hoje Princeton University) e pelo Seminário Teológico de Princeton. Ele chegou ao Rio de Janeiro em 12 de agosto de 1859. Por esta razão esta foi a data escolhida como o Dia do Presbiterianismo Nacional.

Nos primórdios de sua estadia no Brasil, não sabendo ainda falar o português, Simonton foi pastor para ingleses, escoceses, irlandeses e americanos, residentes em nosso país. Porém, já no dia 22 de abril de 1960, dirigiu o primeiro trabalho em português: uma Escola Dominical, com 5 pessoas : três crianças e duas moças. E, no dia 20 de janeiro de 1862, Simonton organizou a primeira Igreja - a Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro.

Sua carreira como missionário e pastor foi entrecortada por grandes alegrias e muitas tristezas. Em pouco tempo chorava a morte de sua mãe. Logo depois alegrou-se ao casar com Helen Murdoch Simonton. No dia do nascimento de sua única filha, escreveu em seu diário: "a taça da minha felicidade está cheia", porém nove dias depois, morria sua esposa.

O sofrimento teve o efeito de impulsioná-lo com mais vigor ao trabalho missionário. Levou a mensagem do Evangelho para o interior do país. Organizou mais três Igrejas, criou o jornal "Imprensa Evangélica" (1864), organizou o primeiro Presbitério (o do Rio de janeiro - 1865), participou da ordenação do 1º pastor presbiteriano brasileiro (o ex-padre José Manuel da Conceição - 1865) e fundou o Seminário Primitivo (no Rio de Janeiro - 1867).

Aos 34 anos de idade morreu vitimado pela febre amarela. Seu mistério foi curto, mas profícuo.O trabalho de evangelização que iniciou, continuou, e muitas e muitas outras Igrejas foram organizadas em todo o Brasil. Louvamos a Deus pela vida de Simonton e pela existência e crescimento da nossa querida IPB.


Sugestão de Representação para o aniversário da IPB

CARTAS ÀS IGREJAS (Apocalipse - caps. 2 e 3)

- Autora : Aderita Alves da Silva -

Personagens:
DIRIGENTE - Será a primeira a entrar em cena. Lerá, ao microfone, os versos da 1ª estrofe (abaixo) e se dirigirá para a direita do palco, onde ficará aguardando a apresentação das representantes das sete Igrejas.

A VOZ - Deve ser escolhido um homem de voz forte, pausada, e com boa dicção. Ele não aparece; fala ao microfone de um lugar oculto. Suas falas começam pelo nome de uma Igreja, e, nesse momento, a representante da Igreja citada entrará em cena; em silêncio ouvirá o que a voz diz a seu respeito. Isto acontecerá sete vezes. Para cada Igreja a voz dará um recado.

AS IGREJAS - Serão sete mulheres, com roupas brancas, cada uma trazendo uma faixa com o nome da Igreja que representa. Entrarão, a medida que a voz falar o nome da Igreja. Ouvirão o recado a seu respeito e se dirigirão para a direita do palco. Após a última fala da voz (momento em que se dirige ao público), a dirigente virá à frente, ladeada pelas representantes das Igrejas. A dirigente dará a mensagem final e, então, junto com as representantes, convidará o público para que todos entoem o hino "Fidelidade do Cristão". nº 176 do HNC.

TEXTO DA REPRESENTAÇÃO

Dirigente
.... O apóstolo João,
Na ilha de Patmos foi exilado
Por causa da Palavra de Deus
Que ele havia propagado.
E num dia de domingo,
Ele teve uma revelação:
Uma voz mandou que ele a escrevesse
Para servir de admoestação.
E João escreveu as sete cartas
Aos dirigentes das setes Igrejas,
Orientando-os que procurassem
Realizar ações benfazejas.
As sete Igrejas ficavam na Ásia,
Onde é hoje a Turquia.
E João registrou as mensagens
Que às Igrejas a voz dirigia.

VOZ
....
Igreja de Éfeso, conheço as tuas obras,
O teu trabalho e perseverança,
Não suportas os homens maus
E, no meu nome, tens esperança.
Tenho, porém, contra ti
Que deixaste o teu primeiro amor.
Volta à prática das primeiras obras,
Para não sofreres o meu furor.
Se ouvires do Espírito os conselhos,
Te tornarei uma vencedora,
Te alimentarei da Árvore da Vida
Que está no paraíso, fiel moradora.

VOZ
....
Igreja de Esmirna, conheço a tua tribulação,
Também a tua pobreza,
Porém, tu és rica, querida Igreja,
És filha da realeza!
Não temas o que vais sofrer,
Durante a tua lida.
Sê fiel até a morte
E dar-te-ei a coroa da vida.
Se ouvires o que o Espírito
Diz às Igrejas, com voz forte,
Serás grande vencedora:
Não sofrerás a segunda morte.

VOZ
 
Igreja de Pérgamo, conheço aonde habitas:
Onde está o trono de Satanás.
Mas não negaste a minha fé,
Conservaste meu nome. Terás paz.
Tenho, porém, contra ti
Que tens sido complacente
Com doutrinas liberais,
Que se propagam entre os crentes;
Não tens combatido, com zelo,
A idolatria e a prostituição,
Que, no teu meio proliferam,
Contrariando o ensino cristão.
Arrepende-te, pois, Igreja,
Não procedas como louca,
Senão pelejarei contra ti,
Com a espada da minha boca.
Se ouvires e praticares
O que te diz o Espírito,
Dar-te-ei o maná e uma pedrinha branca
Com o teu nome, em cima, escrito.

VOZ
 
Igreja de Tiatira, conheço as tuas obras,
Teu amor, tua fé altaneira,
E as tuas últimas obras,
Mais numerosas que as primeiras.
Tenho, porém, contra ti,
Que não tens combatido o mundanismo,
Que se propaga no teu seio:
A idolatria e o materialismo.
Arrepende-te, Tiatira,
Conserva com amor a doutrina sã,
Pois regerás nações, com autoridade,
E te darei a estrela da manhã.

VOZ
 
Igreja de Sardes, conheço as tuas obras
E os procedimentos teus,
Que não são íntegros, nem puros
Na presença do meu Deus.
Arrepende-te e estimula
Os que não se contaminaram,
Que procedem de modo digno,
Com vestes descentes sempre andaram.
O vencedor usará vestes brancas,
No Livro da Vida seu nome terá,
Eu confessarei seu nome diante de Deus
E, para sempre, seu nome lá estará.

VOZ
 
Igreja de Filadélfia, conheço as tuas obras,
Por isso te tenho amor.
Tens pouca força, mas guardaste minha Palavra,
Não negaste o meu nome. Eu sou o teu Senhor!
Porque guardaste a minha Palavra,
Eu também te guardarei.
Na hora da provação,
Contigo eu estarei.
Conserva o que tens: amor, perseverança, conduta boa,
Para que nunca ninguém
Tome a tua coroa.
Se venceres, far-te-ei coluna
Do santuário do meu Deus,
Gravarei sobre ti o meu nome
E o da cidade do meu Deus.

VOZ
 
Igreja de Laodicéia, conheço as tuas obras,
Que nem és fria, nem quente.
Porque tens sido uma Igreja morna,
Não há ninguém que te agüente!
Estou a ponto de vomitar-te,
Por causa da tua hipocrisia,
Por causa da tua arrogância,
Que cresce a cada dia.
Sê zelosa e arrepende-te,
Estou à tua porta a bater,
Se me permitires entrar,
Terei imenso prazer...
Se venceres, dar-te-ei
Recompensa sem igual:
Sentarás comigo em meu trono,
Junto ao Pai celestial.

VOZ
 
Ouçam todos aqui presentes:
Quem tem ouvidos, ouça
O que o Espírito às Igrejas diz:
"Pratique os ensinos de Cristo",
E, para sempre, será feliz!

Dirigente (mensagem final)
Estamos de parabéns! Hoje é o dia do aniversário da Igreja Presbiteriana do Brasil! Agradeçamos a Deus por ter mandado o missionário americano Ashbel Green Simonton para implantar a IPB em nossa pátria. Agradeçamos a Deus pelos que continuaram as obras de Simonton.
Mas, hoje, é também o dia de cada um de nós analisar a sua Igreja. Com qual das sete Igrejas do Apocalipse, a sua Igreja se assemelha? Deus está nos dando um tempo de arrependimento e de volta aos ensinos da Bíblia.
Oremos pelos nossos líderes e por cada crente presbiteriano. Que cada um de nós tenha amor pela sua Igreja, e zele por ela, praticando a Palavra e testemunhando de Cristo. Que sejamos crentes verdadeiramente fiéis para que, ao chegar ao céu, possamos receber de Deus a coroa da vida!

"SÊ FIEL ATÉ A MORTE, E DAR-TE-EI A COROA DA VIDA" (Ap 2.10b)

(Todos cantam o hino "Fidelidade do Cristão - nº 2176 HNC)

Voltar para o índice

topo